Poh! Essa ideia não sai da minha cabeça!
Poh! Essa ideia não sai da minha cabeça!

As inovações e as circunstâncias pelas quais temos vivido vem mostrando o quanto há de criativo em nós e que muitos e ou há muito nem se davam conta disso.

A dificuldade aliada ao tempo e à necessidade abriram as comportas para as ideias. Já até havia um nome bonito em inglês pra isso: Brainstorming criada pelo um publicitário Alex Osborn em 1948.

E essa acaba sendo uma oportunidade de algo maravilhoso acontecer que é conectarmos nossa paixão com o trabalho.

Pena que nem para todo mundo! Mas um dia será de um jeito ou de outro.

Mesmo quando conseguimos utilizar uma ideia simples, nada que seja tão grandioso, colocá-la em prática e vê-la funcionando, isso já nos dá o sentimento de prazer incomparável!

Se o que colocar em prática então for algo do qual pode se replicar sem a necessidade de sua ação direta e continua ai é o caminho do sucesso.

As ideia não precisam vir todos de uma única vez e serem suas propriamente dito.

É muito possível unir-se a quem concebe um ideia e fazer dessa(s) pessoa(s) parceiro(s) e a coisa funcionar muito bem.

Ou o contrário, você entra com a ideia e encontra a parceria que irá viabiliza-la.

Claro que antes de por uma ideia ou se associar a uma é preciso um mínimo de pesquisa sobre o mercado para sentir o quanto será aceito. Não há como fazer isso com exatidão mas pode minimizar bastante as frustrações e até mesmo investimentos indevidos.

E ainda podemos contar com algo magnifico que vem tomando força principalmente entre as pessoas que trabalham por conta própria que são as redes de network, um ajudando ao outro, propondo e alinhando parcerias entre áreas que até então parecem distintas mas que juntas conseguem oferecer algo mais forte, consistente, alternativo e satisfatório ao público.

E com a aceleração dos processos de propagação graças a internet tornou-se ainda mais possível colocar ideias em prática, obviamente disputando lugar com muito mais pessoas pensando e fazendo as vezes até o mesmo que você.

O que prevalece é ter as melhores ideias e coloca-las em prática, partir para ação.

Aproveitar que agora não apenas os grandes formadores de opinião e famosos criativos, são os que controlam todo o mercado, o espeço está bem mais democrático e se expandiram as possibilidades.

Usar nosso processo criativo nunca foi tão incentivado como é agora.

Temos pessoas fantásticas a frete de projetos e propostas que simplesmente podem mudar todo o rumo de nossa história, desde que entendamos e segamos suas sugestões.

Para mim o melhor exemplo disso é o Murilo Gun, dentre outras tantas coisas, professor de criatividade e que com sua generosidade ainda abril por 1 ano inteiro acesso a seus cursos sobre o tema que simplesmente só quem fez pode tentar explicar.

Eu me limito a dizer que modificou minha vida.

Os incentivos à criatividade abrem em nossa mente a visão de que podemos ser mais que simples consumidores, podemos também ser provedores de ideias a serem absorvidas por outras pessoas.

E o que é muito legal que essa sua ideia pode vir a se tornar seu meio de sustento, ferramenta provedora de recursos.

As ideias estão por ai nosso dia a dia, quando conseguimos atentar nosso olhar para o cotidiano partindo do princípio daquilo que nos move, que mais nos traz alegria, coisas que faríamos gratuitamente por puro prazer e damos conta de aprimorar e tornar esse sentimento em algo prático, estamos materializando nossas ideias.

Obviamente é preciso junto a decisão de colocar uma ideia em prática, estudá-la, aprimorá-la, testá-la, para ai sim validá-la.

Então é assim! Dê vazão a sua criatividade, receba suas ideias se harmonize com elas, e trabalhe para coloca-las em prática.

Não se deixe intimidar olhando para os gênios nem se superestimar julgando os estagnados.

Apenas abra seu espaço, confie e dê o melhor de si.

Essa parada é real e funciona e quando rola é muito top!