O maior medo de um comediante
O maior medo de um comediante

Um dos maiores medos de um comediante, não é o famoso bloqueio criativo ( que inclusive assombra todo mundo que trabalha na criação de algo ), mas sim o fato de ser esquecido pelo seu público.

Eu adoro stand up e acompanho muitos os caras que considero os mais feras no ramo e todos dizem a mesma coisa:

”  Se ficarmos muito tempo sem aparecer nosso público nos esquece facilmente “!

E eles não estão errados quanto a isso!

Entretanto essa questão vale para todos nós na maioria das circunstâncias.

Seja se minha loja está fechada por conta da pandemia existe muita chance de quando eu reabrir se  reabrir  eu seja obrigado a começar do zero. 

Daí a importância de eu não me deixar cair no esquecimento do meu público.

Por mais difícil que seja esse momento, se eu não fizer nada para me manter vivo e mostrar isso,

realmente terei de jogar a toalha.

Então enquanto houver força para me manter respirando, preciso fazer tudo que puder para isso acontecer.

Continuar mostrando e falando do meu negócio, que mesmo num ritmo mais lento ele ainda existe e está pronto a atender quem procurar por mim.

Na verdade é o momento de falar mais do que nunca, fazer barulho mesmo, chamar a atenção e seguir trabalhando.

Inclusive tem um detalhe importante, isso vai passar.

Não temos ideia de quando mas vai passar.

Não sabemos “como será o amanhã” (como dizia o poeta) mas ele vai chegar e aí temos de estar de pé.

Esse não é mais um artigo de auto-ajuda, nem o apelo angustiado de quem quer levantar o astral das pessoas.

É uma constatação.

O velho ditado ” quem não é visto não é lembrado” talvez nunca tenha feito tanto sentido!

Agora em  nosso presente e para o que há de vir com o  futuro.

Não deixe seu negócio cair no esquecimento.

Dê a ele o fôlego que precisa para sobreviver mesmo que tenham de reversar um único balão de oxigênio!